domingo, 6 de setembro de 2009

Partilha

Sobre a abrangência do amor metafísico...
Só podemos dizer, contudo, que o mundo não é mais meu nem seu, mas nosso. Que o que fazemos e empreendemos não pertence a mim e a você, mas a nós. Que os cumes, os caminhos, as manhãs de maio e o perfume das pétalas são nossos. Que toda bondade em relação aos outros, todo e qualquer modelo legítimo e desprovido de constrangimento para eles é nossa vida. Que a luta cheia de júbilos e o empenho seguro por algo escolhido são nossos. Nossos. Que isso não pode nunca mais se perder, mas só tem a possibilidade de se tornar mais rico, mais claro, mais seguro, a fim de crescer e transformar-se em uma grande paixão da existência.
Heidegger à Arendt [1925].

Nenhum comentário: