terça-feira, 22 de novembro de 2011

Essência

Estamos em tempo de reflexão, tempo de gratidão. A vida tem sido generosa conosco. Temos saúde, inteligência, filhos amados. Portanto, temos muito para agradecer.
Sei que passamos por fases difíceis, mas, entenda, é apenas uma fase. A vida é longa e tem muitos caminhos para percorrermos. 
Voltei da aula caminhando, vim pensando nos desafios da vida.
Minha amiga escreveu uma msg no celular para mim, disse-me estar muito triste, pois o marido dela ficou ontem até tarde na rua bebendo, está andando com pessoas ruins, enfim, ela brigou com ele e está muito triste.
Lembrei-me de toda a minha vida de casada. Sempre coloquei meu marido acima de tudo, permiti-me apagar minha personalidade para ficar ao lado dele. Fiz sacrifícios além daquilo que me era permitido, pois coloquei-me em último plano, priorizei ao meu marido, meus filhos, minha família, enfim, passei anos trabalhando pelos outros e para os outros. Depois veio o enorme sofrimento para entender que não devemos mudar quem somos para conseguirmos amor.  Hoje entendo que foi o único jeito que o Universo encontrou para mostrar-me que precisava cuidar de mim, precisava ser quem eu era e não uma pessoa que tornei-me somente para conseguir amor. E o pior é que não consegui o tão sonhado amor. Porque muitas vezes a gente não entende que as pessoas só podem dar-nos aquilo que elas têm. Hoje não tenho mais a ilusão de que se eu for boazinha serei amada. Muito menos obrigo-me a ser quem não sou. Hoje eu sou o que eu sou, com todos os meus defeitos e qualidades. Claro que esforço-me no sentido de ser um ser humano cada dia mais evoluído, mas não faço esforço nenhum para ser uma pessoa que realmente não sou somente para receber amor. Hoje aprendi que quem tem que me amar sou eu mesma. Quem tem que respeitar-me, sou eu mesma. Hoje sei que somente eu posso dar-me esse amor. Hoje sou minha melhor companhia. Sou minha melhor amiga. Só eu sei onde aperta o meu sapato. E fico um pouco triste, pois se eu soubesse disso tudo antes, teria sofrido menos. Mas nunca ninguém disse-me que é uma ilusão acreditar que teremos parceiros na vida que ama e respeita quem somos. Ou pelo menos, nunca foi dito-me que  devo aprender a amar quem sou, talvez, depois desse real aprendizado, possa existir alguém que me ame como sou. Enfim, nunca foi tão verdadeiro para mim que vale mais estar só do que mal acompanhada. Mas minha vida foi construída de outra forma. Mas, ainda bem, não tenho nada que a minha consciência acuse, pois, se errei, errei muito comigo mesmo, principalmente por falta de auto cuidados, mas cuidei de todos que estiveram a minha volta com o máximo de carinho e atenção que pude e tinha para dar. E a vida é eterna, posso conseguir tudo que desejo, basta querer, pois o verdadeiro querer dará-me poder e capacidade de conseguir. E assim é para todos nós. Todos podem e devem conseguir o que desejam, mas sempre respeitando o livre arbítrio do outro. Pois é fato: Ninguém muda ninguém e ninguém é dono de ninguém e cada um colhe o que planta, seja nesta vida ou em outras vidas, mas a colheita é certa. Conto isso tudo porque foi a reflexão que fiz desta minha vida. Vezes minha vida parece estar acontecendo em uma tela de cinema. Ontem, especialmente, senti-me em uma tela e como a mocinha do filme. Fui à prefeitura levar alguns documentos para o fiscal regularizar a minha empresa, percebi que não daria tempo de chegar à Universidade para apresentar o trabalho, corri, xeroquei os documentos, voltei, escrevi um bilhete para o fiscal, entreguei e sai correndo, lá longe avistei um ônibus parado no sinal, pressenti ser o meu, corri, corri e corri, mas o ônibus saiu, continuei correndo, perguntei, soube que sim, era o meu ônibus, então corri ainda mais, na rua, no meio dos carros, com a pasta nas mãos, o pessoal de dentro do ônibus percebeu a minha correria, avisaram ao motorista, que parou, entrei, então o motorista contou-me sobre os avisos, agradeci, falei do trabalho, enfim, quando o motorista deixou-me em frente ao meu campus, disse-me: conseguimos, você tem dez minutos para chegar na sua sala. Imaginem a cena, é ou não é cena de filme?
Vezes penso que minha vida é toda feita de cenas de filmes. Posso dizer que minha vida não é morna, que darei trabalho para fazerem minha biografia e acho isso bom, muito bom, pois estou tentando viver e estou tentando viver o melhor que posso, mas como quero, posso e consigo. Amei esse mantra que a minha linda amiga Valéria com V ensinou-me:
Eu quero, eu posso e eu consigo.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Desapego

A maioria das pessoas têm muitos obstáculos para serem vencidos
Uns tão pesados, que nem sei como faria.
Então pensei isto após ler um desabafo:


Nossa, situação meio triste
E eu ainda reclamo
Muita ousadia da minha parte
Por isso estou tentando fortemente
Não fazer dramas
Desapegar do ego
Desapegar de querer coisas materiais
Desapegar de tudo
Reconhecer que viver na terra é uma experiência sagrada
Ser mais grata
Sorrir mais
Enfim, estou tentando
Mas nem sempre consigo
Acho que faz parte da densidade humana
Mas continuo tentando

domingo, 20 de março de 2011

Amor Yin e Yang


O amor é assim, cheio de mistérios e repleto de desafios.
Para amar é preciso enxergar além da imagem e alcançar a simbologia dos fatos.
Acima de tudo ter confiança e leveza.
E saber que a vida está aqui para agradar você.
Sempre.

Encontrei essa jóia de foto no blog de uma linda e inteligente menina:
http://modorraburlesca.tumblr.com/

sexta-feira, 11 de março de 2011

Carta sobre a felicidade

Uma partilha:


Carta sobre a felicidade

(a Meneceu)

Epicuro envia suas saudações a Meneceu

Que ninguém hesite em se dedicar à filosofia enquanto jovem, nem se canse de
fazê-lo depois de velho, porque ninguém jamais é demasiado jovem ou
demasiado velho para alcançar a saúde do espírito. Quem afirma que a hora de
dedicar-se à filosofia ainda não chegou, ou que ela já passou, é como se
dissesse que ainda não chegou ou que já passou a hora de ser feliz. Desse
modo, a filosofia é útil tanto ao jovem quanto ao velho: para quem está
envelhecendo sentir-se rejuvenescer através da grata recordação das coisas
que já se foram, e para o jovem poder envelhecer sem sentir medo das coisas
que estão por vir; é necessário, portanto, cuidar das coisas que trazem a
felicidade, já que, estando esta presente, tudo temos, e, sem ela, tudo fazemos
para alcançá-la. Pratica e cultiva então aqueles ensinamentos que sempre te
transmiti, na certeza de que eles constituem os elementos fundamentais para
uma vida feliz.

Em primeiro lugar, considerando a divindade como um ente imortal e bem-
aventurado, como sugere a percepção comum de divindade, não atribuas a ela
nada que seja incompatível com a sua imortalidade, nem inadequado à sua
bem-aventurança; pensa a respeito dela tudo que for capaz de conservar-lhe
felicidade e imortalidade.
Os deuses de fato existem e é evidente o conhecimento que temos deles; já a
imagem que deles faz a maioria das pessoas, essa não existe: as pessoas não
costumam preservar a noção que têm dos deuses, ímpio não é quem rejeita
os deuses em que a maioria crê, mas sim quem atribui aos deuses os falsos
juízos dessa maioria. Com efeito, os juízos do povo a respeito dos deuses
não se baseiam em noções inatas, mas em opiniões falsas. Daí a crença de
que eles causam os maiores malefícios aos maus e os maiores benefícios
aos bons. Irmanados pelas suas próprias virtudes, eles só aceitam a
convivência com os seus semelhantes e consideram estranho tudo que seja
diferente deles.

Acostuma-te à ideia de que a morte para nós não é nada, visto que todo bem e
todo mal residem nas sensações, e a morte é justamente a privação das
sensações. A consciência clara de que a morte não significa nada para nós
proporciona a fruição da vida efémera, sem querer acrescentar-lhe tempo
infinito e eliminando o desejo de imortalidade.

Não existe nada de terrível na vida para quem está perfeitamente convencido
de que não há nada de terrível em deixar de viver. É tolo portanto quem diz ter
medo da morte, não porque a chegada desta lhe trará sofrimento, mas porque

o aflige a própria espera: aquilo que não nos perturba quando presente não
deveria afligir-nos enquanto está sendo esperado.

[...]

O sábio, porém, nem desdenha viver, nem teme deixar de viver; para ele, viver
não é um fardo e não-viver não é um mal.

[..]

De todas essas coisas, a prudência é o princípio e o supremo bem, razão
pela qual ela é mais preciosa do que a própria filosofia; é dela que
originaram todas as demais virtudes; é ela que nos ensina que não existe
vida feliz sem prudência,
beleza e justiça, e que não existe
prudência, beleza e justiça sem felicidade.

Porque as virtudes estão intimamente ligadas à felicidade, e a felicidade é
inseparável delas.

[...]
Medita, pois, todas estas coisas e muitas outras a elas congêneres, dia e noite,
contigo mesmo e com teus semelhantes, e nunca mais te sentirás perturbado,
quer acordado, quer dormindo, mas viverás como um deus entre os homens.
Porque não se assemelha absolutamente a um mortal o homem que vive
entre bens imortais.

Tradução baseada na edição de Arrighetti. Epicuro. Opere. Torino, 1973.

©2007 CEFA e Portal Brasileiro da Filosofia
-- 

domingo, 6 de março de 2011

Minha festa

Vezes somos tão rígidos,
tão presos à conceitos e ideias
que limitam e provocam medos e amarguras.
Quanto desperdício de vida.
A vida está aqui para ser celebrada,
para ser valorizada.
Ainda bem que busco as boas leituras
e assim consigo perceber a rigidez e alterar 
o destino da energia.
E a mudança de vibração altera
toda a visão do mundo,
transforma em luz
o que era escuridão.
E toda e qualquer revolta em 
profunda compreensão.
Hoje foi meu aniversário
E pelo dia lindo e mágico que vivi,
deixo minha gratidão.
Sinto-me privilegiada pelo dom da vida.
Celebre o dom de sua vida todos os dias.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Meu aniversário



Significa que tenho direito à vida
Que mereço festejar
Que sou bem vinda.
Entretanto hoje nego
Nego que sou bem vinda,
pois sinto que não sou
Não sou bem vinda
Não sou importante.
Não tenho valores
Se vou à festa, essa pode até
 receber o nome de 
Aniversário da Elisa
Mas é apenas uma denominação,
uma máscara de carnaval
Porque pouco ou nada importa
que a festa se chame 
aniversário da Elisa
O que conta é se tem bebida
e se tem banquete
E se tem uma Elisa serviçal
Mas eu também não celebro
essa Elisa
Uma Elisa boçal
que tem medo de ser quem é.
Hoje sou uma Elisa revoltada
Uma Elisa ruim, 
quase do mal.


domingo, 27 de fevereiro de 2011

Revivendo


“....não estou triste, estou apenas cansada...” Existem frases que são capazes de mexer com o nosso eu mais obscuro. Passam-se anos escondendo, negando, articulando um sentimento, uma emoção, uma dor. Mas até onde é verdadeira a afirmação acima? Já parou para analisar quando fala esta frase?
Cobra-se que as pessoas sejam sempre felizes, bonitas e sadias. O feio, a morte, o sofrimento são todos escondidos com lentes cor de rosa. O cansaço, ah, esse pode existir, pois é filho do trabalho, árduo, constante, esse tem valor, espaço conquistado, direito adquirido. Afinal, é ele quem promove o sucesso, o bem estar financeiro, a garantia de fartura. Bom, esse tem razão e direito de existir, mesmo que escravize, isso é apenas detalhe. E a ira, aonde é autorizada? Não, definitivamente não! Quer ter amor? Então a ira não pode ser vista, esconda-a de si mesmo, que o consuma por dentro, mas nunca, nunca mesmo a deixe ser vista.
Loucura, insanidade ou lucidez, o que você procura? Quem quer enganar? Acha-se mesmo capaz? Quantos anos se suportam viver sobre a ótica de lentes cor de rosa?

Mas quebrar uma visão pode ser perigoso, como pousar os olhos, como lançar novo horizonte? Há o medo que paralisa. O chão que teima em faltar. Movimento, que altera a realidade, esse cisma em não acontecer. Para onde vai aquele que apenas usufrui a vida, que caminho percorrem? E aqueles que não se preocupam com os arrebatamentos do outro, que frutos alcançam?

Dor, sofrimento, medo, consomem, matam, destroem. Fênix, suas cinzas são sua vida refeita, costurada, emendada, que diferença faz, o que se faz necessário é apenas o desejo de tê-la restaurado, reescrito e reinventado. Vida, olhar, loucura, tudo se mistura, tudo é real, mas a matéria de que é feito pode ser utilizada para preparar novo banquete. Pensamento em movimento. Cinética do pensamento, luz.
Então pare! Pare sua vida, pare seu momento, sinta, olhe. Entretanto sinta, permita-se sentir, seja o que for, apenas sinta. Não só olhe, veja. Se não gostar, troque, altere, mude. Coragem, força, todos somos capazes de fazer algo por nós mesmo. Jamais se abandone.
 

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Descanso

 Quando durmo, visito outros mundos e estes recarregam minha bateria

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Agitadíssimo

Ontem foi um dia agitadíssimo.
Hoje reinou um marasmo,
parecia que não havia vento e
nem vela para tocar o barco da vida. 
Mas sei que houve movimentos, 
mas estes de forma tão sutis,sei lá, quase imperceptíveis.
O silêncio do olho do furacão.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Durmo para sonhar. Acordo para te contar :)













Estou indo dormir,
quero sonhar os resultados do meu cotidiano.
Aceito o que vier.
O fato de aceitar promove uma liberdade tão grande, uma paz.
Deus está no comando, Ele conhece todos os detalhes e sabe o que é melhor.
Eu apenas sonho.
Durmo para sonhar.
Acordo para te contar.
Beijos
Sonhe com os anjos

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O Livro da Bruxa


Ganhei, hoje, um livro da Valéria, O Livro da Bruxa.
Olha, é da bruxa mesmo.
Veja bem, aqui em casa o carteiro não entrega as cartas.
Tanto é que só recebi minha correspondência de dezembro no meados de janeiro.
Então ela disse-me que receberia o correio,
contei-lhe a saga das cartas daqui e disse-lhe
que resgataria a correspondência na agência dos correios.
Hoje ela avisou-me que deveria ter chego,
mal terminei de ler o e-mail e o livro chegou.
Estou fascinada lendo-o.
Devorando-o
Amei a bruxa, amei, amei e amei.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Superação


O fogo destruiu o trabalho das Escolas de Samba, mas deixou uma grande lição, pois perderam todo o trabalho, mas não perderam a força que carregam em suas almas:
O presidente da escola disse chorando, que perderam tudo, menos o maior patrimônio, que é a alegria.
Aposto que desfilarão de camiseta, será lindo, verá e será a maior prova de superação, mesmo perdendo tudo estão lá, celebrando o dom da vida. Vamos também celebrar o dom de nossas vidas?

domingo, 16 de janeiro de 2011

Profecia


Profetize o que é bom e as boas palavras
Profetize as boas intenções.
Declare o suporte que Deus oferece à sua luz e ao seu coração.
Não fale sobre os problemas, fale sobre as soluções.
Clame por aquilo que deseja,
clame com luz.
A palavra cria.
A profecia é poder enxergar o futuro em nossas ações no presente.
Esteja atento à suas palavras,
elas abrirão as portas de amanhã.
Gotas de Crystal

sábado, 1 de janeiro de 2011

ernegia Todos os dias são para planejar e conquistar nossos objetivos.
Acredite mais em si mesmo.
Confie em seus talentos.
E seja feliz sempre,
mesmo quando não encontrar motivos.
Neste caso, invente motivos para ser e fazer feliz.
Felicidades para você e para aqueles que fazem parte de sua vida.