domingo, 27 de fevereiro de 2011

Revivendo


“....não estou triste, estou apenas cansada...” Existem frases que são capazes de mexer com o nosso eu mais obscuro. Passam-se anos escondendo, negando, articulando um sentimento, uma emoção, uma dor. Mas até onde é verdadeira a afirmação acima? Já parou para analisar quando fala esta frase?
Cobra-se que as pessoas sejam sempre felizes, bonitas e sadias. O feio, a morte, o sofrimento são todos escondidos com lentes cor de rosa. O cansaço, ah, esse pode existir, pois é filho do trabalho, árduo, constante, esse tem valor, espaço conquistado, direito adquirido. Afinal, é ele quem promove o sucesso, o bem estar financeiro, a garantia de fartura. Bom, esse tem razão e direito de existir, mesmo que escravize, isso é apenas detalhe. E a ira, aonde é autorizada? Não, definitivamente não! Quer ter amor? Então a ira não pode ser vista, esconda-a de si mesmo, que o consuma por dentro, mas nunca, nunca mesmo a deixe ser vista.
Loucura, insanidade ou lucidez, o que você procura? Quem quer enganar? Acha-se mesmo capaz? Quantos anos se suportam viver sobre a ótica de lentes cor de rosa?

Mas quebrar uma visão pode ser perigoso, como pousar os olhos, como lançar novo horizonte? Há o medo que paralisa. O chão que teima em faltar. Movimento, que altera a realidade, esse cisma em não acontecer. Para onde vai aquele que apenas usufrui a vida, que caminho percorrem? E aqueles que não se preocupam com os arrebatamentos do outro, que frutos alcançam?

Dor, sofrimento, medo, consomem, matam, destroem. Fênix, suas cinzas são sua vida refeita, costurada, emendada, que diferença faz, o que se faz necessário é apenas o desejo de tê-la restaurado, reescrito e reinventado. Vida, olhar, loucura, tudo se mistura, tudo é real, mas a matéria de que é feito pode ser utilizada para preparar novo banquete. Pensamento em movimento. Cinética do pensamento, luz.
Então pare! Pare sua vida, pare seu momento, sinta, olhe. Entretanto sinta, permita-se sentir, seja o que for, apenas sinta. Não só olhe, veja. Se não gostar, troque, altere, mude. Coragem, força, todos somos capazes de fazer algo por nós mesmo. Jamais se abandone.
 

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Descanso

 Quando durmo, visito outros mundos e estes recarregam minha bateria

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Agitadíssimo

Ontem foi um dia agitadíssimo.
Hoje reinou um marasmo,
parecia que não havia vento e
nem vela para tocar o barco da vida. 
Mas sei que houve movimentos, 
mas estes de forma tão sutis,sei lá, quase imperceptíveis.
O silêncio do olho do furacão.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Durmo para sonhar. Acordo para te contar :)













Estou indo dormir,
quero sonhar os resultados do meu cotidiano.
Aceito o que vier.
O fato de aceitar promove uma liberdade tão grande, uma paz.
Deus está no comando, Ele conhece todos os detalhes e sabe o que é melhor.
Eu apenas sonho.
Durmo para sonhar.
Acordo para te contar.
Beijos
Sonhe com os anjos

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O Livro da Bruxa


Ganhei, hoje, um livro da Valéria, O Livro da Bruxa.
Olha, é da bruxa mesmo.
Veja bem, aqui em casa o carteiro não entrega as cartas.
Tanto é que só recebi minha correspondência de dezembro no meados de janeiro.
Então ela disse-me que receberia o correio,
contei-lhe a saga das cartas daqui e disse-lhe
que resgataria a correspondência na agência dos correios.
Hoje ela avisou-me que deveria ter chego,
mal terminei de ler o e-mail e o livro chegou.
Estou fascinada lendo-o.
Devorando-o
Amei a bruxa, amei, amei e amei.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Superação


O fogo destruiu o trabalho das Escolas de Samba, mas deixou uma grande lição, pois perderam todo o trabalho, mas não perderam a força que carregam em suas almas:
O presidente da escola disse chorando, que perderam tudo, menos o maior patrimônio, que é a alegria.
Aposto que desfilarão de camiseta, será lindo, verá e será a maior prova de superação, mesmo perdendo tudo estão lá, celebrando o dom da vida. Vamos também celebrar o dom de nossas vidas?