sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Histórias tristes também são conto de Fadas.

A vida sempre é envolta por uma névoa de mistérios.
A verdade sempre foge aos nossos olhos e entendimento. Quantas vezes lamentamos, quando na verdade deveríamos estar celebrando?
E quantas vezes festejamos, quando deveríamos estar cauterizando as feridas?
Muito provavelmente não acreditaria nesta história se a ouvisse. Entretanto, até nisso a vida tem seus caprichos. Sabendo desta minha peculariedade de duvidar quase sempre, me colocou como testemunha dos fatos.
Assim, um rapaz jovem, saudável, estudando em uma excelente faculdade pública, com dinheiro e cheio de vida. Um outro jovem, idealista, saudável, atleta, batalhando por seu sonho, feliz e cheio de vida.
Um noturno, outro diurno.
 Um bebendo e o outro praticando esporte.
 Um de carro, o outro de bicicleta.
Um encontro......
Antes de narrar o encontro, voltarei uma semana no tempo:
Lei seca, para muitos excelente lei, para outros, péssima lei.
Amanhecendo Domingo, uma blitz, um jovem preocupado:
"Tou perdido!"
Um outro jovem, ao ser parado, faz o inusitado, foge, então nosso jovem que se achou perdido é salvo, pois os policiais largam tudo e vão atrás do fujão.
"Bah, que sorte, puxa, sou mesmo um cara de sorte."
 Sorte? Azar? Destino?
Agora já é outro fim de semana, nosso jovem vai curtir a vida, com um certo gosto de vitória, um sentimento de ser indestrutível, um cara de "sorte".
Como um bom Deus, bebeu, sentia-se acima de qualquer lei. Bebeu muito, até amanhecer o dia.
Novamente Domingo! Apenas sete dias separava um Domingo daquele outro. 
Neste mesmo momento, nosso outro jovem acordou cedo, estava feliz, foi a primeira vez que acordou em sua nova morada, antes morava longe do local do treino, agora não mais.
Estava iniciando seu treino, enquanto o outro jovem finalizava sua bebedeira.
Foi neste momento que se encontraram, dois olhares, duas vidas, um destino.
Um carro, uma bicicleta, um único espaço. Tão juntos, tão próximos e tão distantes.
Um encontro que alterou milhares de vidas em um único tempo.
Um foi morar no céu e o outro para o inferno do sentimento de culpa.
Duas vidas perdidas, uma para o Céu e outra para a Terra.

É um milagre, a vida é um milagre!